Meio&Mensagem
Publicidade

Wave Festival

Adiado para 2022

Wave começa com mais inscrições brasileiras

Número de peças do País cresce 5%, mas queda de 45% nos envios da Argentina faz festival ter 9,3% menos concorrentes, com 1.397 cases disputando troféus em 18 áreas

Alexandre Zaghi Lemos
27 de maio de 2019 - 3h04

O Wave Festival – Festival Latino-Americano de Criatividade, promovido pelo Grupo Meio & Mensagem, começa nesta segunda, 27, no Rio de Janeiro, com 1.397 trabalhos inscritos disputando prêmios em 18 áreas, abertas a países da América Latina e ao mercado hispânico dos Estados Unidos.

O Brasil é o país que mais aumentou sua presença no evento, com alta de 5% nas inscrições na comparação com 2018. Entretanto, houve queda de 45% nos envios da Argentina, consequência do agravamento da crise econômica no país vizinho. Isso faz com que o festival tenha 9,3% menos concorrentes em 2019.

Todo o julgamento é presencial, no Grand Hyatt, na Barra da Tijuca. Entre os 66 jurados, que terão a missão de definir os melhores trabalhos da região, há criativos e executivos de marketing e mídia atuantes em seis países. Divididos em cinco salas, eles terão três dias para definirem os shortlists e os vencedores de Grand Prix, Ouros, Pratas e Bronzes.

Ao contrário de outros festivais internacionais, como Cannes, por exemplo, onde os julgamentos são tensos, cercados de competitividade e cobrança das redes globais, no Wave o espírito pretendido é outro, mais de troca de experiências, integração e network. Dos 18 presidentes de júri de 2019, sete são mulheres.

Uma das principais características do Wave é a seletividade dos júris. Em 2018, de 19 Grand Prix possíveis, foram entregues 12 para 9 cases. Não houve Grand Prix em seis áreas: Brand Experience & Activation, Digital, Direct, Outdoor, Radio & Audio e Social & Influencer.

Em 2018, a R/GA conquistou três Grand Prix com o case de lançamento do Next, banco digital do Bradesco, vencedor em Mobile, Digital Craft e Design. Já a ação “Essa Coca é Fanta. E daí?”, da David para Coca-Cola, conquistou o Grand Prix de Social Change e o Blue Wave, o troféu destinado a reconhecer a grande ideia do ano.

O objetivo do Wave de se posicionar como prévia do Cannes Lions, fazendo com que os trabalhos premiados no Rio cheguem ao festival da Riviera Francesa com a chancela de melhores da região, funcionou no ano passado com os cases “Essa Coca é Fanta. E daí?” e lançamento do Next, que foram premiados posteriormente em Cannes.

A AlmapBBDO conquistou o prêmio de Agência do Ano em todas as onze edições do Wave Festival já realizadas. No ano passado, pela primeira vez, o Festival entregou o prêmio de Holding do Ano, para a Omnicom.

Publicidade

Compartilhe

Patrocínio

Realização