Meio&Mensagem
Publicidade

Wave Festival

Adiado para 2022

Wave reforça vocação de prévia de Cannes

Mudança de data, de abril para maio, pretende fazer com que os trabalhos premiados no Rio cheguem à Riviera Francesa com a chancela de melhores da região latino-americana

Teresa Levin
18 de maio de 2018 - 6h38

A partir de segunda-feira, 21, lideranças criativas e profissionais de marketing dos principais países da América Latina e do mercado hispânico dos Estados Unidos estarão reunidos ao longo de três dias para definir os melhores trabalhos da indústria da comunicação na região.

Confira aqui o júri completo do Wave Festival 2018.

O encontro será no Wave Festival in Rio, o Festival Latino-Americano de Criatividade, promovido pelo Grupo Meio & Mensagem. Em um novo formato, o evento será realizado no Grand Hyatt na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A mudança do Copacabana Palace, onde aconteceu nos últimos dez anos, para um dos hotéis mais novos da cidade justifica-se pelo novo formato que o Wave terá a partir deste ano.

Se até 2017 a agenda era dividida entre a premiação dos melhores cases da região e um programa de seminários, o evento evoluiu para tornar-se um ambiente de networking dos criativos e profissionais de marketing, favorecendo a troca de ideias. Além disso, a mudança de data, de abril para maio, pretende firmar o Wave como uma prévia do Cannes Lions, fazendo com que os trabalhos premiados no Rio cheguem ao festival da Riviera Francesa com a chancela de melhores da região.

A mudança visa adequação ao próprio calendário de inscrições em festivais das principais agências da região, que têm em Cannes seu marco principal. “A ideia é dar mais chance para as peças latinas terem visibilidade. Ganhando um prêmio em um festival de criativos, elas já chegam a Cannes carimbadas, já terão passado pelo crivo da região”, explica Marcelo de Salles Gomes, vice-presidente executivo do Meio & Mensagem. Com a realização do evento em abril, o Festival recebia inscrições que já haviam sido premiadas no ano anterior em Cannes, fugindo do foco pretendido pelo Wave desde sua criação: antecipar os favoritos latinos aos Leões do festival francês.

“Todos que trabalham nesta indústria amam o que fazem e, passar estes dias vendo ideias e discutindo sobre elas, me parece uma grande experiência”, aponta Ignacio Ferioli, vice-presidente da David Buenos Aires. Presidente do júri de Film, ele diz que para que uma ideia seja vitoriosa ela deve ser bem contada. “Seja na simplicidade de sua execução, do recurso, do craft ou do storytelling”, aponta.

Já Felipe Vellas, presidente do júri de Film Craft, acrescenta que o trabalho quando é bom é indiscutível e destaca a qualidade do que tem sido feito na região. “O nível dos trabalhos tem se mostrado alto, portanto acho que vai ser complexo eleger os melhores”, considera.

À frente do grupo de jurados de Digital Craft, Mariano Jeger, vice-presidente e diretor executivo de criação da R/GA Buenos Aires, diz que espera encontrar no Wave trabalhos que sirvam como um guia para o Cannes Lions e outros festivais que acontecerão ao longo do ano. “É importante ter um critério claro na hora de julgar. Tem que basear-se na forma como o craft potencializa as ideias, evidenciando sua importância na materialização delas”, defende. Ele reforça ainda que, para ser premiado em Digital Craft, o trabalho deve representar uma combinação de função e forma. “É importante ser atrativo, esteticamente agradável, mas não adianta se não for funcionalmente ótimo e se não refletir o conceito que precisa. É essencial buscar um mix correto entre a experiência do usuário, o desenho, os textos, a animação e o som”, detalha.

Presidente do júri de Social Change, Samuel Estrada, managing director e CCO da McCann Colombia, diz que esta é uma área onde, para que seja premiado, um trabalho precisa de tudo que tem nas outras, mas ainda algo além. “Os briefings são mais comoventes, para dizer o mínimo. É por isso que o nível de demanda deve ser um pouco maior”, avalia. Se usualmente em trabalhos desta área é normal encontrar uma dose de boas intenções e poucas ações, Samuel diz que sua expectativa é que esta ordem se inverta nas campanhas que serão premiadas. “Para gerar uma mudança de verdade precisamos de grandes ideias com grandes soluções, que sejam referência para o mundo”, completa.

Publicidade

Compartilhe

Patrocínio

Realização