Meio&Mensagem
Publicidade

Wave Festival

Adiado para 2022

Wave debate e inspira o mercado latino há uma década

Comemorando dez anos em 2017, o Wave Festival in Rio firma-se como principal evento de criatividade da América Latina

Teresa Levin
31 de março de 2017 - 12h50

A ideia era promover um evento que premiasse o melhor da criação na América Latina e ocupasse uma posição de destaque no cenário global da comunicação, contribuindo, assim, para a valorização das empresas e profissionais da região. Diante da lacuna observada na época, o Grupo Meio & Mensagem lançou, em 2008, o Festival Latino-Americano de Criatividade, com a marca Wave Festival in Rio. Para dar ao evento o porte desejado e para caracterizá-lo como vitrine da América Latina para o mundo, o Rio de Janeiro foi naturalmente escolhido como sede.

Com isso, há dez anos o Wave é realizado no Copacabana Palace. Ao longo de dois dias, o evento reúne anualmente a premiação — que engloba paí­ses da América Latina e agências que atuam com a língua espanhola nos Estados Unidos —, e ainda disputados seminários, realizados no Golden Room do charmoso hotel carioca, com nomes de destaque da indústria da comunicação. Desde sua primeira edição, o Wave conta com o apoio da Advertising Age, que não só divulga o evento no mercado norte-americano, mas também colabora com a realização de seminários e leva para sua audiência global os resultados da premiação que hoje conta com 15 categorias: Blue Wave, Green Wave, Press, Outdoor, Branded Content, Film, Film Craft, Design, PR, Promo, Direct, Cyber, Mobile, Radio e Students. A edição de 2017 acontece nos dias 5 e 6 de abril.

“O Wave colocou o Brasil no circuito dos grandes festivais de criatividade e hoje é um hub criativo importante no nosso mercado”, observa Joanna Monteiro, chief creative officer da FCB Brasil. A criativa, que na edição de comemoração dos dez anos do Wave presidirá o júri de Mobile, ressalta ainda que, nesta década, o Wave foi um fórum de discussões importantes. “Que nos ajudou a acompanhar as mudanças pelas quais o mercado vem passando”, avalia. Para ela, o festival tem ainda outro importante marco. Ao optar por realizar o evento no Rio de Janeiro, reforçou-se a relevância do mercado carioca no cenário da publicidade nacional. “São dez anos lembrando que o Rio tem de se reinventar e seguir fazendo parte fundamental da indústria da propaganda no Brasil”, aponta Joanna.

Sergio Gordilho, copresidente e chief creative officer da Africa, reitera que o Wave firmou-se como “um grande palco para se discutir, ver, inspirar e projetar caminhos criativos em uma indústria que não para de se transformar”. O criativo, que este ano presidirá o júri de Outdoor do evento, destaca o caráter inovador que levou à criação do festival há dez anos. “O pioneirismo e a coragem do Salles Neto em lançar há dez anos um festival internacional de criatividade no Rio hoje colhe os frutos ao ver o Wave ter se transformado em um dos eventos mais importantes da indústria criativa latina e hispano-americana”, ressalta.

Para Hugo Rodrigues, presidente da Publicis, o Wave Festival firmou-se como um dos principais momentos de reconhecimento da comunicação latina. “A altíssima qualidade dos trabalhos premiados, os júris formados por profissionais reconhecidos internacionalmente e a excelência das palestras transformaram o festival numa oportunidade imperdível de consumir conteúdo­ que faz diferença para a nossa vida profissional”, observa. Como recorda o presidente da Publicis, além da disputada premiação, o Wave conta com uma série de seminários que ao longo de dez anos reuniu nomes de peso da indústria da comunicação mundial. Pelo palco do festival já passaramentre outros, Simon Clift, então CMO global da Unilever; Andrew Robertson, CEO da BBDO Worldwide; Rei Inamoto, quando era CCO da AKQA; Nick Law, CCO da R/GA; Matias Palm-Jensen, fundador da sueca Far Far; Michael Conrad, da Berlin School; e Donald Gunn, criador do Gunn Report.

Premiando os melhores trabalhos da indústria da comunicação na América Latina e em língua espanhola nos Estados Unidos, o Wave Festival também homenageia a cada ano a agência que mais se destaca no evento, acumulando a maior pontuação nas disputas das 15 diferentes áreas do festival. Ao longo de sua história, o Wave Festival viu a AlmapBBDO consagrar-se como a agência mais premiada em todas as suas edições. “Consideramos um evento extremamente importante, que tem uma relevância muito grande no mercado latino-americano”, aponta Luiz Sanches, sócio e chief creative officer da AlmapBBDO. Para ele, ao longo da última década, o mercado pode ver festivais que eram tradicionais perdendo importância enquanto o Wave ganhava cada vez mais destaque. “Estrategicamente, o Wave é realizado em uma data muito feliz, pois precede um dos principais festivais do mundo, que é o de Cannes”, avalia. Sanches lembra ainda que a participação de países vem aumentando e, com isso, o evento tem se tornado um dos prêmios que balizam o trabalho da região. “Nesses dez anos, trabalhamos com ideias que fazem a diferença para as marcas dos clientes e comprovamos isso em festivais como o Wave”, conclui o criativo, que este ano presidirá no evento o júri de Direct.

Confira alguns destaques da história do Wave Festival:

 

2008: o argentino Pablo Del Campo presidiu o primeiro júri de Film, que premiou com Grand Prix “Gerra”, da F/Nazca S&S para Unimed (crédito: arquivo M&M)

2008: o argentino Pablo Del Campo presidiu o primeiro júri de Film, que premiou com Grand Prix “Gerra”, da F/Nazca S&S para Unimed (crédito: arquivo M&M)

 

2009: na estreia do Young Wave Circus, o encontro entre o argentino Maxi Anselmo (Santo) e o brasileiro Washington Olivetto (WMcCann) (crédito: arquivo M&M)

2009: na estreia do Young Wave Circus, o encontro entre o argentino Maxi Anselmo (Santo) e o brasileiro Washington Olivetto (WMcCann) (crédito: arquivo M&M)

 

2010: entre os palestrantes que já passaram pelo palco do festival, estão Michael Conrad e Donald Gunn (crédito: Eduardo Lopes)

2010: entre os palestrantes que já passaram pelo palco do festival, estão Michael Conrad e Donald Gunn (crédito: Eduardo Lopes)

 

2011: Fábio Fernandes recebe o Blue Wave pelo case “República Popular do Corinthians”, criado pela F/Nazca S&S para Nike (crédito: arquivo M&M)

2011: Fábio Fernandes recebe o Blue Wave pelo case “República Popular do Corinthians”, criado pela F/Nazca S&S para Nike (crédito: arquivo M&M)

 

 2012: falando a estudantes, no Young Wave Circus, Marcello Serpa salientou a importância das tecnologias que gravitam ao redor da publicidade (crédito: arquivo M&M)

2012: falando a estudantes, no Young Wave Circus, Marcello Serpa salientou a importância das tecnologias que gravitam ao redor da publicidade (crédito: arquivo M&M)

 

2013: Luiz Sanches com o troféu de Agência do Ano, que a AlmapBBDO conquistou, não só em 2012, mas em todas as nove edições já realizadas (crédito: André Valentim)

2013: Luiz Sanches com o troféu de Agência do Ano, que a AlmapBBDO conquistou, não só em 2012, mas em todas as nove edições já realizadas (crédito: André Valentim)

 

2014: Rei Inamoto, então líder criativo da AKQA, defendeu no Wave que as agências se inspirem nas startups e percam o medo de errar (crédito: André Valentim)

2014: Rei Inamoto, então líder criativo da AKQA, defendeu no Wave que as agências se inspirem nas startups e percam o medo de errar (crédito: André Valentim)

 

2015: a cantora Anitta, destaque dos seminários em 2015, foi uma das diversas personalidades de fora do mundo da propaganda que já passaram pelo palco do Wave (crédito: arquivo M&M)

2015: a cantora Anitta, destaque dos seminários em 2015, foi uma das diversas personalidades de fora do mundo da propaganda que já passaram pelo palco do Wave (crédito: arquivo M&M)

 

2016: o bate-papo entre Washington Olivetto e Boni informou, entreteve e divertiu a plateia que lotou o Golden Room do Copacabana Palace (crédito: arquivo M&M)

2016: o bate-papo entre Washington Olivetto e Boni informou, entreteve e divertiu a plateia que lotou o Golden Room do Copacabana Palace (crédito: arquivo M&M)

 

2017: Wave chega a sua décima edição com campanha da Crispin Porter + Bogusky, que mostra reação ao ganhar um GP de um publicitário que, no discurso, esnoba prêmios (crédito: reprodução)

2017: Wave chega a sua décima edição com campanha da Crispin Porter + Bogusky, que mostra reação ao ganhar um GP de um publicitário que, no discurso, esnoba prêmios (crédito: reprodução)

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Joanna Monteiro

  • Sergio Gordilho

  • Hugo Rodrigues

  • Luiz Sanches

  • Wave Festival

  • história

Patrocínio

Realização