Meio&Mensagem
Publicidade

Wave Festival

27 A 29 DE MAYO DE 2019 | GRAND HYATT, RIO DE JANEIRO - RJ

/ Bronze

Título: My First Bra
Categoria: A03. Casting
Agência: Madre Mia Filmes
Anunciante: ANTRA – Associação nacional de Travestis e Transexuais

Sinopse: A releitura do filme “O primeiro sutiã a gente nunca esquece”, além de uma homenagem ao original, considera a triste estatística de que vivemos no país uma crescente onda de casos de violência e preconceito, sobretudo contra as pessoas transexuais. Casos de assassinatos e violência figuram cotidianamente na imprensa.

Esse diagnóstico foi feito pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA) que desenvolveu um estudo sobre os assassinatos das pessoas Trans em 2018 e divulgou o Mapa de Transfeminicídios. A ANTRA abraçou a campanha porque tem como uma de suas premissas promover ações informativas e apresentar propostas a fim de garantir os direitos das travestis e transexuais. E para além disso, reconheceu na campanha o propósito de promover um ambiente de respeito e aceitação. A ANTRA é uma das maiores entidades da América Latina.

A escolha da protagonista do remake foi garimpada para encontrar um personagem real, o que no filme se traduz na percepção de que se o primeiro sutiã é marcante para uma adolescente, imagine para uma jovem transexual que está se conhecendo como mulher.

O filme foi costurado para despertar a empatia do público, mostrando a estória real de um pai que não entende o que o filho está vivendo, assim como grande parte da população.

No final do filme da mesma forma que o pai compreende e aceita a filha, esperamos que o espectador se sensibilize e se identifique com a compreensão e aceitação das pessoas transexuais. Levar a reflexão sobre isso pode ser o grande legado deste filme

Sinopse em inglês: The re-reading of the film «The first bra we never forget», in addition to a tribute to the original, considers the sad statistic that we live in the country a growing wave of cases of violence and prejudice, especially against transsexual people. Cases of murder and violence appear daily in the press.

This diagnosis was made by the National Association of Transsexuals and Transsexuals (ANTRA) that developed a study on the murders of Trans people in 2018 and released the Map of Transfeminicides. ANTRA has embraced the campaign because it has as one of its premises to promote informative actions and present proposals in order to guarantee the rights of transvestites and transsexuals. And in addition, he recognized in the campaign the purpose of promoting an atmosphere of respect and acceptance. ANTRA is one of the largest entities in Latin America.

The choice of the protagonist of the remake was panned to find a real character, which in the film translates into the perception that if the first bra is striking for a teenager, imagine for a young transsexual who is known as a woman.

The film was sewn to arouse public empathy, showing the real story of a father who does not understand what the child is living like so much of the population.

At the end of the film in the same way that the father understands and accepts the daughter, we expect the viewer to become sensitive and identify with the understanding and acceptance of transsexual people. Taking reflection on this may be the great legacy of this film.

Produtora de Som: Cabaret

Direção comercial: Telma dos Reis

Diretor de fotografia: Guille Muse

Assistência de direção: Bárbara Aranega

Figurino: Kleber Lucin

Make hair: Miriam Kanno

Produtor executivo: Edgard Soares Filho

Produção: José Alfredo Sahm, Ana Paula Domingues, Janaína Mesquita

Pós-produção: Alexandre Fernandes, Gabriel Leça

Motion/Composição de imagens: Warriors e Willian Santos

Edição / Montagem: Rodolpho Ponzio, Pedro Viciti e Whelton Lopez

Finalização: Poliana Pompeo

Color: Marla

Patrocinio

Apoyo

Realización